Quitar o financiamento garante desconto?

homem colocando moeda na balança
Se você recebeu uma renda extra e deseja quitar um financiamento, sempre leve em consideração se os juros cobrados por essa dívida são baixos ou altos.

Quando se trata do recebimento de uma renda extra — seja ela proveniente de décimo terceiro salário, restituição de imposto de renda ou recolhimento do FGTS inativo —, a primeira ideia que vem à mente da maioria das pessoas é usar o dinheiro para quitar uma dívida ou financiamento. Mas será que realmente vale a pena pagar a dívida ou se é melhor investir o dinheiro? Quitar a dívida garante algum desconto para o devedor?

Quitar o financiamento garante desconto?

De acordo com o artigo 52 do Código de Defesa do Consumidor, quando a comercialização de produtos ou serviços envolve operações de crédito ou financiamento, o fornecedor tem a obrigação de oferecer desconto em caso de quitação realizada antes do prazo, bem como de informar ao cliente sobre essa possibilidade.

Essa regra vale para quem deseja quitar o financiamento em operações de empréstimo ou de subsídio de imóveis, veículos e eletrodomésticos. Infelizmente, são muito frequentes os casos de empresas que se recusam a dar o referido desconto para quem antecipa o pagamento em operações desse tipo.

Por isso, é importante que você esteja ciente da legislação que ampara o consumidor nessas situações: é direito seu receber o desconto relativo aos juros quando resolve quitar o financiamento, seja ele relativo a produtos ou serviços.

Quando é interessante quitar o financiamento?

Em geral, é vantajoso para você quitar o financiamento quando os juros cobrados são baixos. Isso é mais comum em casos de financiamentos como crédito consignado ou com garantia de imóveis ou veículos. Assim, você pode se livrar de forma mais rápida de um compromisso financeiro de duração longa, aliviando seu orçamento mensal.

Você pode continuar com a rotina de pagamento das parcelas, mas agora com o objetivo de aplicar esse dinheiro para a criação de uma reserva de emergência, por exemplo. Nesse caso, se não puder quitar o financiamento por completo, amortizar o débito (pagar parte da dívida) também é uma opção que vale a pena.

Por outro lado, se os juros forem altos, não vale a pena quitar o financiamento utilizando um dinheiro que poderia ser investido de outra maneira e render mais. Esse geralmente é o caso de financiamentos como parcelamento do cartão de crédito e o cheque especial, por exemplo. Neste caso, o que deve ser levado em conta é o custo total do financiamento, bem como a taxa de retorno do tipo de investimento que você escolheu.

Outro ponto que deve ser levado em conta é se, ao quitar o financiamento, você não está comprometendo o seu orçamento: isso pode gerar pagamento de mais juros, dessa vez relacionados a contas atrasadas ou ao próprio cheque especial.

Imagem: © Depositphotos.com / moleks

Compartilhe:

Envie sua mensagem e ligamos para você.

Formulário específico para quem deseja uma Vida Financeira Abundante e Próspera.




 

Fale Conosco

(11) 3181-0610

(11) 9 61107847

(21) 9 69389672

(11) 3230-2238

Mapa do Site

© 2016 Instituto Coaching Financeiro. Todos os direitos reservados.
Top