O que é previdência privada? Compensa investir?

mulher contando dinheiro e homem segurando papel
A previdência privada é um completo a previdência pública, e é uma forma segura contratada para garantir uma renda futura.

Em 1923, foram lançadas as bases da Previdência Social Brasileira, assegurando aos trabalhadores (e suas famílias) uma renda mensal em caso de aposentadoria por tempo de serviço, gravidez, invalidez, doença ou outro fator limitante. Milhões de brasileiros recolhem mensalmente parte de seus recursos com o objetivo de garantirem uma renda futura.

Na maioria dos casos, porém, a Seguridade Social paga valores muito modestos e é muito mais difícil manter um padrão de conforto e bem-estar e na aposentadoria que seja equivalente ao período de “vida ativa”. Neste contexto, a Previdência Privada torna-se uma opção complementar muito importante, trazendo vantagens não garantidas pelos planos privados, como o salário-maternidade e o auxílio-reclusão. Aconselha-se a contribuição em paralelo com o INSS, inclusive aos profissionais sem carteira assinada.

Vale a pena investir na Previdência Privada?

Atualmente, há uma variedade considerável de instituições com taxas de administração e tarifas competitivas adequadas aos vários perfis de risco e com diferentes alíquotas. Uma vantagem significativa é que os valores de contribuição e sua periodicidade são definidos pelo beneficiário, que no futuro receberá pelo tanto que contribuiu. Outro proveito: em caso de desistência, os planos preveem o resgate antecipado do investimento.

Por outro lado, a Previdência Privada apresenta desvantagens como altas taxas de administração, que podem ultrapassar os 3% ao ano. Além disso, existe a taxa de carregamento, que chega até 10% e é cobrada toda vez que é feito um aporte. De R$ 100 recolhidos, R$ 10 serão destinados à taxa, que pode ser cobrada tanto na “entrada” quanto na “saída” do dinheiro.

Planos da Previdência Social

PGBL

Trata-se do Plano Gerador de Benefício Livre, a melhor opção para quem declara o Imposto de Renda no modelo completo, pois pode-se deduzir os aportes de sua renda bruta anual, pagando menos imposto hoje (essa dedução é de no máximo 12% da renda bruta total).

VGBL

O Vida Gerador de Benefício Livre, por sua vez, é mais indicado para quem declara o Imposto de Renda pelo modelo simplificado (não há dedução, mas só incidirão impostos sobre os rendimentos, e não sobre o valor bruto).

Para esses dois planos, há duas formas de tributação possíveis: a progressiva e a regressiva. Na primeira opção, quanto maior o valor retirado por mês, mais impostos incidirão sobre os recursos. Na tributação regressiva, quanto mais tempo o dinheiro ficar aplicado, menos imposto recairá. Em ambos os modelos a cobrança do imposto é feita no resgate.

Imagem: © Depositphotos.com / Syda_Productions

Compartilhe:

Envie sua mensagem e ligamos para você.

Formulário específico para quem deseja uma Vida Financeira Abundante e Próspera.




 

Fale Conosco

(11) 96220.1823


Suporte ao Aluno:

(11) 93024.0660
[email protected]

Mapa do Site

© 2016 Instituto Coaching Financeiro. Todos os direitos reservados.

Top