Você sabe usar o Cartão de Crédito com Sabedoria?

O cartão de crédito pode ajudar você a controlar seus gastos, desde que você o use com sabedoria, segurança e de forma consciente. Não confie em cartão de crédito para apoiar um “status” que você não pode manter.

Lembre-se sempre de que ele não é complemento de renda. E que ele pode também ser seu herói ou vilão, dependendo de como for usado. Vamos ajudar você a explorar seu lado amigável:

Limite

O limite do cartão de crédito nunca ultrapassa de 30% a 50% de sua renda. Evite fazer mais de um, para que ele possa ajudar a manter o seu equilíbrio financeiro.

Pontualidade

Para evitar as taxas de juros, é preciso quitar a fatura mensal, até à data de seu vencimento. Procure ser pontual. Identifique a data de vencimento da fatura do cartão e faça compras 10 dias antes, conseguindo então 40 dias para pagar a compra. O cartão de crédito pode ser um grande aliado, desde que você tenha disciplina no pagamento. Assim você não paga juros e tem o benefício extra da pontuação em milhas.

Planejamento

Para não ultrapassar a renda disponível, é fundamental que você planeje as despesas mensais. Priorize as necessidades, despreze o supérfluo e evite comprar por impulso. Anote todas as despesas que for pagando com o cartão, como supermercado, luz, água, etc., registre tudo que for consumindo. Faça um controle exato dos gastos, para evitar surpresas desagradáveis no final do mês. Você pode acompanhar também pela internet os lançamentos em sua fatura do cartão.

Pagamento mínimo

O cartão de crédito torna-se um vilão em potencial para quem não consegue pagar o valor total da fatura e paga o valor mínimo, que é cerca de 20% do total da fatura. Neste caso, o valor restante da dívida vai acumulando e são cobradas altas taxas de juros. O rotativo do cartão de crédito é capaz de duplicar a sua dívida em apenas seis meses. Ele é o maior motivo de endividamento entre os brasileiros. Cuidado com a dívida bola de neve!

Milhas

Não se esqueça de trocar as milhas no cartão por benefícios, antes que o prazo vença. A pontuação pode ser convertida em passagens aéreas, diárias de hotel, etc.

Juros

Gaste no cartão de crédito somente o que realmente poderá pagar. Nunca deixe uma fatura em aberto, os juros do cartão são os mais altos – eles ultrapassam os juros do cheque especial, do crédito pessoal e do consignado. Caso não tenha dinheiro suficiente para cobrir toda a fatura, pegue um empréstimo bancário com taxa menor, para saldar a dívida no cartão.

Crédito ou débito

Caso não tenha desconto à vista, nem no cartão de débito, opte pelo pagamento no cartão de crédito, assim você tem mais prazo para efetuar o pagamento.

Parcelamentos

Ao efetuar uma compra, some as parcelas do crédito oferecido sem juros e compare com o preço à vista. Se for o mesmo, negocie um desconto, pois as lojas costumam embutir os juros no preço total do produto.

Você está sem saída?

Se não tiver jeito mesmo de quitar o saldo, faça o pagamento no menor número de parcelas que puder. Mas evite ter mais de um cartão de crédito, pois com vários cartões você vai ter a falsa ilusão de que pode usar todos os limites disponíveis.

Lembre-se, se você deixar de pagar seu cartão no prazo, o “amigo” de plástico vira “inimigo”! Tendo dinheiro, compre, não tendo, espere chover na sua horta, pois os preços cobrados no cartão de crédito estão altíssimos!

Crédito parcelado e rotativo

Há duas formas de parcelar uma despesa no cartão de crédito, pelo lojista ou pelo emissor. No parcelamento com o lojista, a loja oferece ao cliente a opção de pagamento em parcelas fixas. Neste caso, ele paga a compra parcelada e a loja também recebe o valor em parcelas mensais.

No parcelamento com o emissor, a compra é financiada para o cliente pagar de forma parcelada. Nesse caso, é incluído no valor da compra os juros e demais encargos cobrados pelo emissor. Nesse caso, o lojista recebe o valor da venda de uma vez.

Alguns cartões de crédito oferecem também a opção de se usar o crédito rotativo, que permite que o cliente pague apenas uma parte do valor da fatura e deixe o restante para o mês seguinte. Neste caso, há incidência de juros e demais encargos financeiros sobre o saldo pendente.

E esses encargos são bastante elevados. A taxa média anualizada em abril/2015 do rotativo chegou a 347,54%, recorde de toda a série histórica (iniciada em março de 2011).

Em relação ao pagamento parcelado do cartão de crédito, o qual costuma ser uma opção melhor do que o pagamento parcial da fatura, a taxa média anualizada chegou a 114,55%, maior taxa desde setembro de 2012.

A taxa média de juros do cheque especial também anda altíssima. Segundo o Banco Central, a taxa do mês de abril/15 ficou em 225,96% ao ano – a mais alta desde dezembro de 1995. Se compararmos com a taxa de maio de 2013, 136,47%, constataremos que essa taxa subiu quase 90 pontos percentuais em menos de dois anos!

Portanto, cuidado, sai muito mais barato pegar um outro tipo de empréstimo do que usar o rotativo e rolar o restante da fatura do cartão para o mês seguinte.

 

Compartilhe:

Envie sua mensagem e ligamos para você.

Formulário específico para quem deseja uma Vida Financeira Abundante e Próspera.




 

Fale Conosco

(11) 3181-0610

(11) 9 61107847

(21) 9 69389672

(11) 3230-2238

Mapa do Site

© 2016 Instituto Coaching Financeiro. Todos os direitos reservados.
Top